Lojas de médio e grande porte tiveram melhor desempenho no mês. Alta se deu em todas as regiões do país.

O varejo de material de construção cresceu 5% no mês de agosto, na comparação com o mês de julho. Com relação ao mesmo mês do ano passado, o setor teve alta de 4%. Já no acumulado do ano, o setor apresenta alta de 5,5% sobre o mesmo período de 2017. Nos últimos 12 meses, há crescimento de 7,5%.


Os dados são da Pesquisa Tracking mensal da Anamaco, que entrevistou 530 lojistas entre os dias 24 a 29 de agosto. Segundo o levantamento, as lojas de médio e grande portes tiveram variação positiva de 10% e 12%, respectivamente, no mês. Entre os pequenos estabelecimentos, o crescimento no período foi menor (cerca de 2%), mas segundo o presidente da Anamaco, Cláudio Conz, os números indicam um movimento de retomada das obras e reformas. “Mesmo com o aumento do frete, que afetou principalmente materiais básicos e revestimentos cerâmicos, e com a alta do dólar, que atingiu produtos derivados de cobre, o consumidor voltou a comprar materiais de construção a fim de aproveitar promoções. As lojas que ainda tinham estoques adquiridos sem os repasses fizeram de tudo para atrair clientes. Além disso, com as eleições se aproximando, é natural que as pessoas evitem adiar obras, especialmente porque é um momento de decisão que pode influenciar a economia como um todo. Essa incerteza com relação ao futuro acaba fazendo com que elas invistam agora”, explica.

Image

No levantamento por regiões, o Sudeste obteve o melhor desempenho no mês, com alta de 8%. Centro-Oeste e Sul tiveram alta de 7% cada, já Norte e Nordeste apresentaram crescimento de 6% e 4%, respectivamente. Entre as categorias avaliadas, revestimentos cerâmicos apresentaram crescimento de 6% no mês, enquanto tintas e telhas de fibrocimento cresceram 4% e 3% cada.


Image

O ''Bus Tracking”, que permite a inclusão de perguntas caronas no questionário, indicou que aumentou o otimismo do setor com relação às ações do Governo nos próximos 12 meses (de 24% para 32%). Entretanto, predomina a indiferença, retratando o período de expectativas pré-eleições. “De qualquer maneira, o maior otimismo dos lojistas, aliado à melhoria nas vendas, contribui para um aumento nas pretensões de investimentos nos próximos 12 meses (de 33% para 36%). Também subiu de 15% para 18% a intenção de contratar novos funcionários no próximo mês”, completa Conz.

Realizada pelo Instituto de Pesquisas da Anamaco, a Pesquisa Tracking Anamaco tem o apoio da Anfacer, Abrafati e Instituto Crisotila Brasil.

Fonte: Anamaco

Marcas

0
1
2
0
1
2
0
1
2
0
1
2
0
1
2