Fonte: G8

Em semestre de eleições presidenciais, enquanto o Brasil ainda se recupera de uma profunda crise econômica, o mercado se vê apreensivo para os meses finais do ano de 2018. O setor de material de construção, e de construção civil de forma geral, é uma das partes vitais da economia brasileira que se encontra em situação semelhante.

Há menos de três meses das eleições, o cenário político torna extremamente incertas as previsões sobre a retomada da economia nos próximos anos. Segundo dados do Boletim Macro do Ibre (Instituito Brasileiro de Economia), a estimativa do Instituto de um crescimento de 1,9% no PIB para 2018, caiu para 1,7% após vários fatores, entre eles: a greve dos caminhoneiros, a intensificação dos conflitos comerciais entre a China e os EUA e a alta do dólar.

Porém, a ANAMACO em notícia veiculada em seu site na última quinta-feira, apresentou dados otimistas em relação ao primeiro semestre deste ano. Segundo a entidade, as vendas no varejo aumentaram 3% quando comparados os meses de junho e julho. Considerando todos os meses do ano em relação ao mesmo período em 2017, as vendas aumentaram em 4%.

Confira pelas palavras de representantes das distribuidoras G8, os problemas, preocupações e possibilidades enxergadas pelo maior grupo de distribuidores de material de construção do Brasil.


“Em períodos que antecedem as eleições o clima de instabilidade acaba afetando a economia. Provavelmente até que o cenário eleitoral esteja mais definido teremos ainda algumas mudanças.”- Regis Pandolfo, diretor da distribuidora Diferpan.

Sobre a atual conjuntura, André Ruas, gerente comercial da King Ouro, opinou que o aumento dos custos que fábricas do setor vem anunciando tornam o futuro do mercado “um tanto adverso”. Mesmo assim, Ruas considera que o momento pede proatividade e otimismo: “Com tantas incertezas, trabalhar mais e melhor é o caminho”.

Segundo ambos, neste período do ano a venda de alguns segmentos pode aumentar, como disse Regis, “devido à alta sazonalidade do segmento de tintas é importante trabalhar em ações voltadas ao mix correto deste segmento.” André relatou que pelo fato da King Ouro ser uma distribuidora exclusiva da Sherwin Williams, treinamentos e ações de Trade Marketing se intensificam nesta época.

Além disso, o gerente comercial da distribuidora do Rio de Janeiro, mostrou expectativa pelo movimento que a Black Friday costuma gerar nos negócios e a finalização de campanhas de premiação aos seus clientes. A Diferpan também planeja uma ação especial para os próximos meses: “Estamos programando para outubro uma nova feira de negócios interna”.

O G8 cresceu ininterruptamente desde sua fundação em 2010, em tempos de grande instabilidade política e econômica no país. O grupo está em constante aprimoramento colaborativo, método de sucesso que continuará em vigor para enfrentar dificuldades econômicas com o objetivo de sempre melhorar o serviço e assistência à indústria e ao varejo.


“Independente do cenário político, nós aqui na LLE-King Ouro como também em todo o G8, trabalhamos forte para a superação e ocupação dos espaços em nosso mercado. Com muito empenho, foco no cliente, buscando a excelência no nível de serviço, auxiliando a evolução de nossos clientes e de olho em metas factíveis, porém audaciosas, estamos sempre em crescimento sustentável.”- André Ruas.


Com o fim da fase mais aguda da crise econômica, o G8 espera anos com ainda mais sucesso no futuro. Visando a inovação, aprendizado e o compartilhamento para que as dez empresas que fazem parte do grupo continuem crescendo e desenvolvendo por consequência o mercado de material de construção.

 


Fonte: https://goo.gl/rPxH3b

Marcas

0
1
2
0
1
2
0
1
2
0
1
2
0
1
2